O Terrível – A Grande Biografia de Afonso de Albuquerque

O historiador José Manuel Garcia, nesta biografia inovadora e amplamente documentada e ilustrada, ajuda-nos a conhecer a fundo o percurso de vida e a personalidade de Afonso de Albuquerque, dando voz ao próprio e aos cronistas do seu tempo para que possamos ouvir o governador do Estado da Índia passados mais de quinhentos anos após a sua morte.

29.90
Vista rápida

Os Cinco Pilares da PIDE

A prestigiada historiadora Irene Flunser Pimentel apresenta-nos um retrato rigoroso de cinco das principais figuras que marcaram a PIDE/DGS pelas suas actividades, atitudes e tomadas de decisão: Barbieri Cardoso, Álvaro Pereira de Carvalho, José Barreto Sacchetti, Casimiro Monteiro e António Rosa Casaco. Perceber quem eram estes pilares, a sua ascendência, as suas convicções, a forma como entraram para a PIDE, como subiram na carreira, como reagiram perante determinadas situações, bem como viveram o pós-25 de Abril, é também perceber a história da PIDE/DGS, pois uma instituição é, sobretudo o que os seus responsáveis fazem dela. Uma perspectiva inovadora e essencial para compreender a História de Portugal Contemporânea.

25.00
Vista rápida

Os Grandes Mistérios do Antigo Egito

O fascínio pelo antigo Egito permanece intacto apesar de já terem passado mais de dois mil anos após o fim desta civilização, e muitos são os mistérios sobre os seus costumes, política, religião ou cultura que continuam por desvendar. Ao longo do livro, o prestigiado egiptólogo Luís Manuel de Araújo responde as inúmeras questões e revela o essencial para melhor compreendermos uma civilização notável.

24.70
Vista rápida

Os Segredos do III Reich

Guido Knopp, jornalista especializado em História alemã, faz revelações neste livro, de muitos dos segredos até agora desconhecidos do III Reich, que durou apenas doze anos, mas que marcou profundamente a História alemã e mundial.
Um livro indispensável para compreender melhor o fenómeno do nazismo e a tragédia da Segunda Guerra Mundial.

20.50
Vista rápida

Porto D’Honra

Antiga, mui nobre, sempre leal e invicta cidade do Porto. Com este título no brasão de armas, o Porto tem uma história riquíssima, que se confunde com a do próprio país. Manuel de Sousa, um dos mais entusiastas divulgadores da história da cidade, leva-nos numa visita guiada pelo passado, através de acontecimentos que constituem uma parte fundamental da identidade portuense, como o desastre da Ponte das Barcas, as invasões francesas e o sofrimento que infligiram à população, o legado deixado pelos judeus (não será por acaso que a cidade alberga a maior sinagoga da Península Ibérica), a história da mãe de todas as praças portuenses: a da Liberdade, ou o famoso cerco do Porto, que acabou por dar à cidade o título de «Invicta».

18.90
Vista rápida

Portugal e os Nazis

A historiadora Cláudia Ninhos dá-nos a conhecer a Aliança que, a partir de 1933, Portugal e a Alemanha desenvolveram, num relacionamento muito próximo que não foi interrompido nem pela distância geográfica, nem pela neutralidade portuguesa durante a II Guerra Mundial.

15.90
Vista rápida

Sá Carneiro

Aos 46 anos, no dia 4 de Dezembro de 1980, Francisco Sá Carneiro, fundador e líder do PSD, morreu em Camarate. Junto de Snu Abecassis, a mulher por quem se apaixonou e por quem desafiou as leis da Igreja, da família, da sociedade e da política. Muitos viam-no como o rosto da esperança, o futuro da política portuguesa. Outros criticavam-lhe o carácter e a forma de fazer política. A sua morte precoce, envolta em mistério e polémica, fez dele um mito

32.00
Vista rápida

Segredos de Lisboa

Uma Lisboa desconhecida está à nossa espera num museu, num parque de estacionamento ou até numa improvável casa de banho pública no Largo da Sé. Passear pela Lisboa de hoje é caminhar sobre todo um passado desaparecido. Sob os nossos pés, debaixo de linhas de elétrico, ruas asfaltadas e túneis de metro, camadas e camadas de terra revelam histórias de quem por aqui passou, viveu e morreu.

16.50
Vista rápida

Spínola

Em 1961 tomou uma decisão que mudaria para sempre a sua vida: ofereceu-se como voluntário para a guerra em Angola. Começava assim a construção do mito em torno de António de Spínola. Uma imagem que se fortaleceu na Guiné, onde desempenhou os cargos de governador-geral e de comandante-chefe. O homem que uns meses antes agitou o país com a publicação de Portugal e o Futuro, onde defendia que o problema colonial português não teria uma solução militar.

38.00
Vista rápida